(44) 99919-8180
(44) 3029-5025

BLOG

Cronograma eSocial: Etapa 2 começa em julho.

eSocial

O cronograma esocial determinou julho de 2018 para que as empresas privadas iniciem a transmissão de dados ao sistema.

 

O processo inclui Simples, MEIs e Pessoas Físicas que possuam ao menos um empregado.

 

A implantação do eSocial ficou dividida em três etapas. Para entender melhor como está funcionando veja a tabela abaixo:

 

Por que o cronograma esocial ainda “assusta” empregadores?

 

O eSocial, por ser algo novo, acaba sendo causa de receio e temores em muitos empresários.

 

O foco do governo é fazer com que os empregadores cumpram com mais exatidão suas responsabilidades legislativas.

 

O cronograma esocial organiza o processo de implantação do sistema, conforme as áreas de interesse do governo.

 

As comunicações relevantes ao esocial estão relacionadas principalmente a informações sobre:

 

  • Vínculos trabalhistas, situações e seus respectivos exames – admissionais, de mudança de função, demissionais, rotineiros e de retorno ao trabalho.
  • Folha de pagamento.
  • Contribuições previdenciárias.
  • Comunicações de acidentes de trabalho.

Fases da Etapa 2 do eSocial.

Vamos falar agora sobre a etapa 2 do cronograma esocial que vai começar dentro de alguns dias. Saiba mais sobre cada uma das fases abaixo.

Fase 1 – cadastro do empregador e tabelas.

Os primeiros registros ao eSocial são eventos que devem ser fornecidos pelo empregador/contribuinte a partir de julho de 2018.

 

Refere-se a informações cadastrais, alíquotas e outros dados necessários ao preenchimento e validação dos demais eventos do eSocial.

 

Fase 2 – Dados dos trabalhadores e seus respectivos vínculos.

Nesta fase, empresas devem  enviar dados referentes aos trabalhadores registrando nos eventos não periódicos vínculos trabalhistas e seus respectivos exames médicos.

 

Trata-se de informações relativas a admissões, afastamentos, avisos prévios e desligamentos.

Fase 3 – Folha de Pagamento.

As folhas de pagamento passam a ser digitais. Inclui registros financeiros do trabalhador como: salário, bônus, valor de vale-transporte, alimentação, INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), entre outros.

Fase 4 – Substituição do GFIP (guia de informações à Previdência Social).

Informações referentes aos fatores geradores de contribuições previdenciárias, remunerações e valores devidos ao INSS e FGTS estarão unificados no eSocial, não havendo mais a necessidade de enviar dados à Previdência Social.

Fase 5 – Dados de segurança e saúde do trabalhador.

Esta será a última fase de implantação do eSocial, no entanto, é o processo mais complexo para empresas que ainda precisam regularizar algumas situações referentes ao ambiente de trabalho e aprimorar seus procedimentos de saúde e segurança do trabalho.

 

Saiba mais sobre a fase 5 da etapa 2 do eSocial através do nosso ebook.

 

Assim, fecha-se as brechas para irregularidades permitindo maior transparência quanto ao envio de dados tributários, trabalhistas e previdenciários.

 

Desta forma, o eSocial amplia e simplifica seu sistema de fiscalização onde  haverá informações consistentes, únicas e que estarão num só lugar.

 

Lembrando que empresas que não cumprirem com o prazo de envio de informações por meio do eSocial estarão sujeitas a multas e penalidades.

 

 

 

WhatsApp chat