(44) 99919-8180
(44) 3029-5025

BLOG

Psicodinâmica do trabalho como estratégia de RH.

GESTÃO DO RH

A psicodinâmica do trabalho é uma oportunidade para facilitar a gestão do RH da sua empresa.

Lidar com pessoas, administrar conflitos e suportar intensas pressões no trabalho não é tarefa fácil para essa equipe de “hérois”.

Nós da Labore Saúde Ocupacional sabemos muito bem disso. Por isso, vamos te apresentar o conceito da psicodinâmica do trabalho.

Esperamos que este conteúdo possa ajudar o seu RH. Assim que concluir a leitura  deste artigo, teste e aplique tudo que aprendeu.

Afinal, o que é Psicodinâmica do Trabalho?

A psicodinâmica do trabalho visa analisar o comportamento dos colaboradores a partir de suas emoções.

 

Consiste em detectar a relação de sentimentos de satisfação ou sofrimento do colaborador com base na forma de organização do trabalho.


A organização do trabalho é um compromisso firmado entre quem organiza e quem executa uma atividade laboral.

 

Este compromisso não pode ser estático, uma vez que necessita ser modificado; conforme as necessidades do mercado.

Trabalho e vida pessoal.

Para você, é correto misturar trabalho com vida pessoal? Na teoria; trabalho é trabalho e vida pessoal é vida pessoal.

No entanto, na prática, as emoções que sentimos durante o trabalho afetam nossa vida pessoal e vice-versa.

A psicodinâmica do trabalho considera o ser humano como um todo integrado não podendo dividi-lo em partes.

A psicodinâmica do trabalho mantém o foco no trabalhador, mas considera também a pessoa que ele é, suas habilidades, relações e afazeres fora do expediente.

Como aplicar a psicodinâmica do trabalho na minha empresa?

Avalie a organização, as condições e as relações de trabalho e detecte situações que possam estar afetando negativamente os trabalhadores.

Veja o que considerar na sua avaliação:

  1. Observe como funciona o modo operatório prescrito, bem como a divisão de tarefas e responsabilidades entre os colaboradores.

  1. Analise o quanto a hierarquia e as lideranças estão auxiliando o desenvolvimento da empresa.

  1. Considere aspectos físicos no ambiente como temperatura, ruído, iluminação, vibração, irradiação, altitude e outros).

  1. Esteja atento  também quanto às condições de saúde, higiene, e segurança do trabalho.

  1. Não se esqueça da questão biológica do ambiente de trabalho e seus riscos de contrair doenças relacionadas a vírus, bactérias, parasitas e fungos).

  1. Verifique as características ergonômicas dos postos de trabalho.

    7. Estabeleça uma forma de manter uma boa comunicação e relacionamento com os agentes internos e externos da empresa. Ou seja, com superiores, membros da equipe de trabalho, clientes, fornecedores, investidores e governo.

Feito o diagnóstico, o próximo passo é planejar e executar as ações corretivas a curto, médio e longo prazos.

Utilize processos que possam tornar o trabalho mais suave e prazeroso para os colaboradores, amenizando consequências psicológicas e/ou fisiológicas negativas referentes à organização, condições e relações de trabalho.

Lembrando que as melhorias devem ser contínuas e periódicas, conforme a necessidade de mudanças que acontecem no mercado de trabalho.

Outra coisa importante a mencionar é que, de modo geral, mudanças desagradam  as pessoas, porque normalmente as removem do comodismo.

Por isso, é fundamental preparar e  incluir os colaboradores no processo de implantação das ações de psicodinâmica do trabalho.

Motivação sob o foco da Psicodinâmica do Trabalho.

Confira algumas dicas que vão ajudar os colaboradores a se manterem motivados. Incentive o trabalhador a praticar as seguintes ações:

  • Ressignificar a importância do trabalho na vida, fazendo-o com empenho e dedicação.

  • Ter percepção da sua respectiva função no contexto do processo de produção.

  • Manter o controle sobre seu trabalho, planejando uma nova forma de desempenhar suas funções; caso seja necessário.

  • Ter um comportamento assertivo, através da expressão da sua opinião sincera.

  • Ser capaz de estabelecer uma comunicação interpessoal saudável, mas que  imponha limites; quando necessário.

  • Estabelecer metas palpáveis para si mesmo ou, pelo menos, que tornam a vida e o trabalho mais simples e produtivos.

  • Ter hobbies.

  • Praticar exercícios físicos para liberação de endorfina; substância relacionada ao bem-estar.

  • Ter uma alimentação saudável.

  • Fazer atividades que permitam o relaxamento e a meditação.

De modo geral, todo trabalhador tem a necessidade de auto realização e reconhecimento social pelo trabalho desenvolvido.

O diálogo e a discussão coletiva, dentro da psicodinâmica do trabalho, geram consequências positivas quanto à liberdade, criatividade e possuem direta relação com o rendimento do trabalhador.

—–

Inteligência emocional no trabalho: como administrar conflitos?

Inteligência emocional no trabalho é a melhor forma de administrar conflitos.

Acompanhe este post e saiba como utilizá-la a seu favor.

Você sabia que as “pessoas são admitidas por razões técnicas e demitidas por razões comportamentais”?

Essa frase do escritor, professor e consultor administrativo Peter Drucker;  considerado o pai da administração moderna é intrigante e real.

Segundo estudo da Robert Half, empresa especializada em recrutamento e seleção, 52% das causas de demissão de trabalho no Brasil estão relacionadas a problemas de relacionamento.

Dentre esses problemas de relacionamento % se referem a  falta de adequação à cultura da empresa e % estão associados ao relacionamento ruim com a equipe e com o supervisor.

Desta forma, podemos perceber o quanto nossos profissionais são bem formados nas universidades e cursos técnicos, porém são incapazes de administrar conflitos.

O que você pode fazer para minimizar conversas, “mimimis” e “picuinhas” que afetam tanto a produtividade dos trabalhadores quanto a lucratividade das empresas?

Demitir os funcionários? Ou adaptá-los a mudanças? O que fazer e por onde começar?

Bem, a decisão daquilo que é mais viável para sua empresa depende de vários fatores como o porte da sua empresa, o quanto ela produz, faturamento e muitos outros.

Mas a questão que vamos abordar aqui, independente da atitude que você precisa tomar dentro da sua empresa, é que a inteligência emocional no trabalho deve ser sempre o foco da sua organização para que ela tenha sucesso.

Inteligência emocional no trabalho diante do sofrimento.

É fato que todo trabalho tem seus problemas e também provocam  sofrimento, ou pelo menos, algum desconforto emocional ou descontentamento em todo colaborador.

Todo sofrimento no trabalho pode se tornar patológico ou um fator emocional que vai beneficiar o desempenho do colaborador numa determinada função.

Acredite! Experiências negativas vividas pelo trabalhador podem agir a seu favor e o tornar mais criativo.

Saiba aproveitá-las utilizando de  inteligência emocional no trabalho.

Você já ouviu falar que os momentos de crises são favoráveis à criação de novas oportunidades?  

Quando o colaborador utiliza sua inteligência prática, resiste ao que é prescrito e age de modo criativo para driblar situações imprevistas.

Desta forma, o colaborador mantém sua identidade pessoal e sua autonomia, alcança a auto realização e transmite o conhecimento adquirido; tornando-o coletivo e faz com que o trabalho se transforme numa ação cooperativa.

Por isso, é benéfico para as empresas que a organização do trabalho não seja rígida, mas que tenha flexibilidade para estabelecer acordos entre imposições organizacionais e o desejo do colaborador.

Os sofrimentos que podem ocasionar patologias (e até afastamentos) são ocasionados pela falta de flexibilidade da organização do trabalho.

A técnica do brainstorm, por exemplo, pode ser utilizada nas empresas como uma estratégia para estimular o comportamento assertivo e proporcionar gradativamente espaço para discussão coletiva.

É fundamental criar ambientes que propiciam o desenvolvimento de estratégias de defesa para que o sujeito possa se adaptar às pressões de trabalho.

O espaço aberto para exprimir diferentes opiniões, pensamentos, crenças e valores pode, a princípio, parecer caótico, no entanto o diálogo gera mais liberdade, autonomia e beneficia a produtividade dos colaboradores beneficiando também o desenvolvimento das empresas.